O objetivo do nosso Ministério de Restauração é restaurar a vida das crianças maltratadas, abandonadas e/ou negligenciadas. Para fazer isso, primeiro temos que encontrar as crianças que precisam de resgate e trazê-las para nossa Casa Restauração. Podemos fazer isto de duas maneiras: 1º - buscar e resgatar - vamos visitar às ruas da cidade uma vez por semana, construindo relacionamento com as crianças das ruas. 2º - receber encaminhamentos e trabalhar com casos sociais do governo. Uma vez que podemos trazer as crianças para a casa, temos nossa segunda tarefa: trabalhar com eles em todas as áreas necessárias para prepará-las para a vida.

Busca e salvamento

Receber as crianças de rua no Brasil é um trabalho muito difícil.  Muitas dessas crianças nas ruas, desfrutam da liberdade que têm de viver como quiserem, e a rua oferece uma vida melhor do que muitas das "favelas" horríveis de onde elas vêm.  A assistência social das igrejas na visinhança conhecido como "sopão" e muitos outros projetos sociais, lhes oferecem comida e um lugar quente. Que não é realmente necessário, pois nossa região é sempre quente. Implorando (recebendo esmolas) essas crianças usam o dinheiro para drogas como cola e crack. Também fazem dinheiro adicional através de roubo e prostituição. Por estas razões, pode ser difícil convencê-los de sua necessidade de deixar as ruas.

Quando nos deparamos com essas crianças nas ruas, começamos a construir relacionamentos com elas através de conversa, jogando dominó, desenhando, ou qualquer meio criativo que nos permita conquistar sua confiança. Assim que essa relacionamento é construíde e eles têm um desejo de sair, então começamos o processo legal necessário para recebê-los em nossa Casa Restauração.

Referências de governo

O trabalho ao lado do governo tem crescido ao longo dos últimos anos. Como o governo tem estado mais envolvido, eles começaram a padronizar os requisitos da Casa Restauração. Entre esses requisitos estão: irmãos não podem ser separados, e a casa restauração precisa trabalhar em conjunto com as famílias ou parentes das crianças para que, quando possível, reintegrar as crianças às suas famílias. Por esta razão, eles realmente preferem trabalhar com ministérios no mesmo distrito. Camaragibe, onde moramos, tem 144.000 habitantes, e não há qualquer casa para meninas ou casas que possam acomodar mantendo irmãos juntos.

Topo